PREVENÇÃO DA PROGRESSÃO DA MIOPIA

PREVENÇÃO DA PROGRESSÃO DA MIOPIA

AUMENTAR A EXPOSIÇÃO À LUZ DO DIA. Atividades ao ar livre

REDUZIR OS PERÍODOS DE TRABALHO INTENSO (AO PERTO).

COMEÇAR A PREVENIR A PARTIR DOS 4 ANOS DE IDADE.

A correção óptica da miopia melhorou muito nos últimos anos com novos materiais para óculos e lentes de contacto. A miopia, entre outros factores, é provocada pela hipo-correção dos óculos nas crianças míopes. A correção insuficiente provoca desfocagem da retina periférica e isto estimula o aumento da longitude axial do olho. Devemos assegurar-nos que as crianças míopes serão bem corrigidas ou inclusivé que serão sujeitas a pequenas hiper-correções com revisões a cada 6 meses.

Nos olhos míopes, a focagem da retina periférica é uma focagem hiper-metrópica ( atrás da retina ) e o sinal enviado pela retina aos neurotransmissores é o de continuar crescendo e alongando o olho e aumentando a sua longitude axial que leva ao aumento da miopia central.

A manipulação da desfocagem periférica da retina com tratamento Orto-K cria uma emetropia central e uma miopia periférica pela geometría da lente e deixa de enviar estimulos para o alongamento axial do olho.

A atropina para o tratamento da miopia, tal como prova o ensaio clínico: ATOM2, comparou a segurança e a eficácia de diferentes concentrações de gotas de atropina para controlar a progressão da miopia desde os 5 anos provocando uma melhor focagem periférica, dilatação pupilar mínima e maior liberação de dopamina.

Ao fim de 2 anos de experiência, a atropina a 0,01% resultou ser a melhor concentração para a persistente redução da progressão miópica. Com isto, comprova-se a mínima alteração de alongamento axial; dilatação pupilar mínima; mínimo encandeamento ou fotofobia; mínima perda de visão ao perto ou afastamento do ponto de focagem, sem problemas na leitura ou no estudo. Os resultados são uma redução anual de 50% da progressão da miopia.

A atropina de 0,01% não está disponível no mercado e deverá preparar-se em farmácias. A sua vida útil é mais curta que a dos preparados industriais e requere vigilância no entorno de produção e transporte da mesma.

Ortoqueratologia:

Foram revisadas 170 publicações para avaliar a segurança e eficácia da Orto-K para corrigir e retardar a progressão da miopia. Concluiu-se que é uma opção segura, ainda que ocasionalmente foram registados alguns casos de queratites microbianas, tingimento corneal, roçadura escleral…

O documento de consenso de WSPOS assinala uma redução de 40% a 50% da progressão da miopia com alguns casos publicados de queratites microbianas severas.

Estudos comparativos assinalam que a média de aumento com atropina é de 0,3d/ano, em comparação com os 0,8d/ano com tratamento placebo e 0,28d/ano com os que utilizavam lente de contacto Orto-K.

Cirurgia Refractiva:

É importante esperar até que a miopia deixe de progredir e se estabilize, o que ocorre por volta dos 20/22 anos segundo o grau de cada caso. Existe uma crescente procura de cirurgia refractiva pela geração do “Baby Boom” e a progressão da prevalência da miopia no mundo inteiro.

O olho continuará sendo miope ainda que se opere o seu defeito refractivo e os problemas de comorbidade não se poderão evitar, mas sim melhorar a visão e a qualidade de vida.

A cirurgia refractiva carece de um diagnóstico preciso de cada criança para avaliar a espessura e configuaração corneal para poder realizar a fotoerosão com laser ou injeção de lentes intraoculares fáquicas até aos 50 anos de idade. Em idades superiores aos 50 anos podem ser introduzidas lentes intraoculares multifocais para compensar a perda de acomodação.

As gotas de atropina deverão ser usadas com óculos ou lentes de contacto bifocais ou de queratologia com as modificações ambientais e comportamentos dos pais para assegurar às crianças , as atividades ao ar livre.